Colunas

Do conteúdo a aprendizagem

Thiago Chaer discorre sobre um novo modelo de educação, onde o centro de investigação do conteúdo é deslocado para a aprendizagem. Confira!

Até agora o modelo educacional se baseou pela investigação do conteúdo. Em menos de 10 anos presenciaremos a pesquisa, as escolas e as soluções educacionais voltadas quase que exclusivamente para a investigação da aprendizagem. Se até o século XX a epistemologia do conteúdo era criada e revisada por catedráticos para ser impressa em livros, hoje, com a tecnologia da informação, uma só pessoa ou uma rede pode ser responsável por criar, revisar e ressignificar qualquer conteúdo, em diferentes formatos – a exemplo da Wikipedia.

Faça o seguinte exercício: pesquise no Google ou no YouTube a palavra “Curso”, com destino para qualquer área do conhecimento. Será fácil encontrar conteúdos relacionados e muitos deles de relevância e com qualidade. Para ir ainda mais a fundo, você pode acessar os MOOCs, como Coursera, EdX ou Udemy. A própria USP já tem disponibilizado algumas de suas aulas gratuitamente na internet.

Quando deslocamos o centro da investigação do conteúdo para a aprendizagem promovemos um novo modelo de educação. O sistema de comparação através de ranqueamento (um aluno em relação ao outro, uma escola em relação a outra) é frágil e pouco eficiente. Este tipo de avaliação só poderia funcionar considerando uma evolução linear das tecnologias e dos sistemas sociais. Como um está contido no outro, e a cada ano a tecnologia pode evoluir exponencialmente, precisamos desenhar modelos de escolas que possam acompanhar essa dinâmica.

A apropriação do conceito e da prática de aprendizagem oferece uma mudança de modelo mental – da atual reprodução para a inovação.

Em outro artigo falei sobre as Microescolas. Acredito que outros modelos possam ser criados para atender às diferentes necessidades que serão reveladas a partir da mudança de foco (do conteúdo para aprendizagem). Novas tecnologias precisarão ser criadas e uma nova formação de professores será necessária. E a introdução das competências do século XXI só encontrará eficácia se o conteúdo deixar de ser o protagonista, e passar a ser o coadjuvante.

Para concluir e provocar mais uma reflexão, experimente procurar no Google “Como construir uma casa giratória”. Tão inusitado quanto isso é você saber que pode aprender quase qualquer coisa, em qualquer lugar, a qualquer hora, através de qualquer dispositivo com acesso à internet.

O foco na aprendizagem desenvolve em nós a capacidade de empreender, de agir e concretizar algo. Esse é o modus operandi que transforma uma família, um bairro, uma cidade, uma nação.

Minha dica final é: se você quer aprender ou empreender comece pelo propósito (porquê?), seguido do para quem (por mim/pelos outros), do quando (quando você vai começar) e onde (no seu grupo, na sua família, no seu bairro, na sua cidade). Finalmente, acrescente o como (que conteúdos e ferramentas você precisa).

* Thiago Chaer possui mais de 15 anos de experiência em inovação e tecnologia digital, atua como Palestrante, Mentor de startups de EdTech. É membro da ABStartups e do Comitê Especial de Educação Digital na OAB (2016-2019), sendo coautor do Compromisso de Privacidade de Dados Educacionais. Sócio-fundador e CEO da Future Education, pré-aceleradora de startups de Edtechs (www.futureeducation.com.br).

Leia mais:

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *