Colunas

Como definir a mensalidade da sua escola?

Em sua primeira coluna no InfoGeekie, o diretor e consultor educacional Maurício Berbel, da Alabama Consultoria Educacional, dá cinco dicas para definir o valor ideal para a mensalidade da sua escola – sem perder a competitividade! Confira:

O mês de agosto é, para muitos gestores de escolas, o momento para decidir os reajustes da mensalidade escolar. É o prazo limite para quem precisa soltar circulares de rematrículas, revisar as cláusulas dos contratos e fechar novas matrículas.

Ao mesmo tempo, agosto ainda é cedo demais para ter estimativas mais precisas sobre índices inflacionários, o cenário econômico do próximo ano e informações sobre as estratégias dos concorrentes. Assim, como definir o valor de sua mensalidade de forma estratégica?

Leia mais: Os 5 melhores investimentos para sua escola, segundo os pais

Baixe o ebook gratuito: Como escolas melhoraram o ensino com as plataformas Geekie

Seguem algumas dicas para tomar a melhor decisão quanto à tabela de preços da sua escola:

  • Não faça loucuras: em tempos de crise e dificuldades financeiras algumas escolas sentem um impulso de tomar decisões radicais. Aumento zero! Descontos super-agressivos geralmente são medidas que prejudicam a sua escola e também os concorrentes. É como um motorista alucinado no trânsito.
  • Atualize o valor da anuidade: procure conhecer o percentual básico que atualiza o valor da mensalidade. Considere a estimativa de reajustes dos salários, das tarifas públicas, do aluguel. Um índice de reajuste pouco acima da média inflacionária deverá servir de referência para sua decisão.
  • Pense no posicionamento de sua escola em relação aos concorrentes. Se a sua escola vem investindo mais, aumentando a qualidade dos serviços etc., é de se esperar que a mensalidade suba acima do básico, eventualmente superando os preços de concorrentes próximos. Também pode ser que sua estratégia seja se tornar uma opção mais econômica, procurando reduzir seu custos, ganhar escalas e ter preços relativamente mais baixos, portanto com reajuste da mensalidade abaixo do básico.
  • Considere a coerência da sua tabela de preços com a evolução do orçamento das famílias. Muitas escolas aumentam muito os custos do Ensino Médio e tentam subsidiar a Educação Infantil, na esperança de facilitar a captação de alunos. Porém, quando os degraus entre os cursos ficam muito altos, as famílias não suportam os aumentos. Isso compromete a fidelização e aumenta a pressão por descontos.
  • Mantenha o foco na relação custo/benefício de sua escola. O ambiente mais competitivo desafia o gestor escolar a ser mais racional em suas decisões. Inundar a escola de parcerias e novidades pode onerar a mensalidade e afastar clientes que não percebem vantagens em tantas ofertas. Por outro lado, há oportunidades interessantes que devem ser consideradas, sempre pensando no benefício dos estudantes e na capacidade financeira de sua clientela.

Siga os conselhos que melhor se adequem à sua realidade, mas lembre-se de que, como em diversas outras situações, não há receita de bolo. As dicas acima podem apenas apoiar a tomada de decisão mais sensata para definir a mensalidade da sua escola!

Leia mais: 5 passos para aumentar a retenção de alunos que toda escola pode adotar

Maurício é diretor pedagógico e conhece de perto os desafios do dia a dia escolar. Em paralelo, é também sócio-consultor na Alabama, consultoria estratégica para instituições de ensino, mestre em Administração de Empresas pela USP, professor em cursos de pós-graduação e MBA Executivos, consultor de marketing e gestão estratégica de instituições de ensino e co-autor de livros como “Marketing Educacional: como manter e conquistar mais alunos”.