Colunas

O uso do celular como recurso pedagógico

O colunista Alfero Neto debate sobre o uso de celular como recurso pedagógico na sala de aula e mostra alguns dados da pesquisa TIC Educação 2016. Confira!

O momento histórico atual é caracterizado pela presença constante dos meios de comunicação e pela quantidade de informações a que é possível se ter acesso independentemente da instituição escolar. Também é possível notar a velocidade com que as informações são transmitidas entre as pessoas. Aquilo que hoje constitui a última notícia, a mais recente tecnologia e o medicamento mais efetivo é rapidamente ultrapassado e substituído.

Todavia, a escola não pode estar voltada exclusivamente para a informação. A sua função está diretamente ligada ao ato de ensinar a conhecer, a formar para compreender e a desenvolver o pensar para que os adolescentes e jovens saibam lidar com as informações estabelecendo relações entre elas. Mais do que isso, o foco é que os estudantes saibam escolher, decidir, projetar, agir e criar o seu projeto de vida.

A simples aquisição de informações não basta para preparar os adolescentes e jovens para enfrentar os problemas da vida e fazer determinadas escolhas, que podem ter um impacto importante em sua vida presente e futura. Não basta dar a cada criança um cabedal de informações sobre o mundo, a vida e a realidade na qual está inserida. Cada indivíduo deve estar preparado para poder aproveitar as oportunidades de aprender, tanto para alargar seus conhecimentos, seus saberes e suas atitudes, quanto para adaptar-se a um mundo complexo e interdependente. A educação assume o dever de possibilitar ao educando aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a ser e aprender a viver em comunidade.

A televisão, o rádio, a Internet, o jornal e tantos outros meios estão a cada segundo nos informando sobre algo e a escola tem a tarefa de desenvolver nos alunos habilidades e competências para transformar as informações, adquiridas por meio destes veículos, em conhecimentos contextualizados que possibilitam fazer uma leitura da realidade.

Dentre esses meios, a internet tem o potencial de democratizar o acesso à informação, facilitar a geração e a publicação de conteúdo, fomentar a construção do conhecimento, além de permitir o intercâmbio de informações por meio de plataformas como as redes sociais. Entretanto, para que os indivíduos aproveitem de tais potencialidades e incorporem esses usos no seu cotidiano, é necessário que o usuário, seja professor ou aluno, supere os desafios nos âmbitos do acesso, do uso e, principalmente, da sua apropriação enquanto ferramenta de produção de conhecimentos e de conteúdo.  

Na medida em que os alunos e os professores estão cada vez mais conectados às novas tecnologias digitais, o grande desafio a ser discutido no âmbito da comunidade escolar é o desenvolvimento de suas habilidades para o uso crítico da rede, tema que está contido na ideia de alfabetização midiática e informacional.

A pesquisa TIC Educação 2016 demonstra dados sobre uso de celular na sala de aula

Desde 2005, o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) e o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) elaboram estatísticas sobre o acesso e uso das tecnologias de informação e comunicação (TIC) nos mais diversos segmentos da sociedade. Anualmente são realizadas pesquisas nacionais especializadas no tema TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação), conduzidas pelo Centro Regional de Estudos sobre o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br). Entre as diversas pesquisas sistematizadas pelo Cetic.br está a TIC Educação, realizada anualmente desde 2010, e que investiga o uso e a apropriação dos computadores e da Internet em escolas públicas e privadas, de Ensino Fundamental e Médio, localizadas em áreas urbanas brasileiras.

No início de agosto, o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) divulgou os dados da pesquisa TIC Educação 2016 e, pela primeira vez, analisou-se a utilização de celulares por alunos em atividades de aprendizagem dentro ou fora da escola. Segundo a pesquisa, o uso desse tipo de dispositivo em atividades escolares foi citado por 52% dos alunos de escolas com turmas de 5º ano e 9º ano do Ensino Fundamental localizadas em áreas urbanas. No Ensino Médio, esse percentual aumentou indicando que 74% dos estudantes utilizaram os celulares para a realização de alguma  atividade escolar.

A pesquisa aponta que 91% dos professores utilizaram a Internet pelo telefone celular para uso pessoal. Além disso, 49% dos professores usuários de Internet declararam utilizar o celular em atividades com os alunos.

Mas apenas 31% dos estudantes afirmaram utilizar a Internet pelo telefone celular na escola, devido às restrições ao acesso da rede WiFi: enquanto 92% das escolas possuem rede WiFi, 61% dos diretores afirmaram que o uso dessa conexão não é permitido aos alunos.

A pesquisa também traz indicadores sobre a percepção de professores, coordenadores pedagógicos e diretores sobre o uso das tecnologias nas práticas pedagógicas. Para 94% dos professores, o uso das TIC permitiu acesso a materiais didáticos mais diversificados ou de melhor qualidade. Além disso, grande parte dos docentes concordaram que a adoção de novos métodos de ensino (85%) e o cumprimento de tarefas administrativas com maior facilidade (82%) é um resultado do uso das TICs.

Tendo como referência esses dados, podemos afirmar que novas metodologias de ensino podem ser criadas utilizando os dispositivos móveis como o celular pois ele já faz parte do cotidiano dos alunos. Quando pensamos em metodologias de ensino baseadas no uso dos recursos tecnológicos, percebemos que o ato de ensinar e aprender ganha novos significados: a aprendizagem não se restringe mais ao espaço físico da escola, mas se estende para outros ambientes distantes da sala de aula. O uso dos recursos digitais possibilita uma maior interação nos processos de comunicação e uma relação professor-aluno mais aberta e significativa, fazendo com que a aula transcenda os limites do espaço físico.

Usar celular como recurso pedagógico funciona?

Uma estratégia de ensino que utilizo é combinar com os alunos que, antes de finalizar o estudo de um determinado capítulo, eles precisam trazer para a sala de aula os seus celulares com acesso a internet para realizarem um simulado online. Entretanto, como nem todos possuem um pacote de dados, no dia da atividade os alunos são organizados em duplas.

Agendamos previamente o estudo do conteúdo do capítulo que será o objeto da atividade. Nas aulas anteriores, pontuamos com os alunos os assuntos principais que foram tratados no capítulo e registramos no caderno. O simulado é criado utilizando uma ferramenta do Google chamada Google Forms. Em seguida, o seu link é postado no meu site, mas pode-se usar uma rede social para divulgá-lo.

No dia do simulado online, cada dupla acessa o link, abre a atividade, coloca os dados de identificação e responde às questões assinalando uma das alternativas corretas. É importante programar um tempo limite para a sua realização sabendo que ela não deve consumir todo o período da aula porque é fundamental fazer uma avaliação oral, junto com a classe, das respostas elaboradas pelas duplas.

Após o encerramento do prazo, o simulado é corrigido pelo sistema e os resultados são mostrados para toda a sala utilizando um projetor multimídia. As respostas não são identificadas com os nomes dos seus autores. O sistema permite apresentar as respostas das duplas em forma de gráficos e mapear os assuntos que apresentaram mais erros e, consequentemente, aqueles que precisam ser revistos antes de iniciar um novo conteúdo.

O intuito de utilizar o celular como recursos pedagógico em algumas aulas é despertar nos alunos a consciência que os recursos tecnológicos podem favorecer o nosso aprendizado. Mesmo assim, o aparelho deve ser utilizado no momento certo e de acordo com algumas regras estabelecidas com a turma.  Para que um recurso tecnológico se torne uma ferramenta pedagógica eficiente, é necessário inseri-la no planejamento de aula e usá-la como estratégia de ensino.

*Alfero Mendes Neto é professor de Geografia e trabalha com Tecnologia Educacional na Escola Salesiana São José (Campinas – SP), graduado em Filosofia e Geografia com especialização em Uso dos Recursos Digitais na Educação pela Unicamp e Educamunicação pela Unisal.  Produz conteúdo sobre metodologias de ensino utilizando os recursos digitais na sala de aula no site www.alferomendes.com.br. Entre em contato: alfero@uol.com.br.

Leia mais:

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *