Cases

SESI Paraná inova com oficinas de aprendizagem e projetos interseriados

O SESI Paraná tem um processo inovador de ensino, baseado em oficinas de aprendizagem e projetos interseriados. O departamento utiliza as soluções da Geekie para auxiliar nessa jornada. Confira esse case de sucesso!

O SESI Paraná preza muito pela qualidade de ensino, “e a parceria com a Geekie evidencia a busca pela constante melhoria da aprendizagem. O uso de tecnologia facilita todo esse trabalho da rede SESI”, destaca Rosilei Ferrarini, analista técnica da Gerência de Educação do SESI Paraná.

O desenvolvimento da aprendizagem dos alunos é potencializado por meio do uso conjunto das soluções da Geekie – Geekie Lab e Geekie Teste, pois as estratégias são complementares entre si, como menciona Rosilei. O SESI Paraná tem total adesão dos colégios usando Geekie Lab – e por quê? “Os educadores perceberam que a tecnologia está a favor deles”, menciona Rosilei.

O processo pedagógico do SESI Paraná é inovador e dinâmico: os alunos do Ensino Médio desenvolvem atividades em oficinas de aprendizagem durante o ano letivo. Rosilei destaca que é uma metodologia similar à de projetos, mas vai além – é um aprendizado mais “mão na massa”. A turma se reúne para resolver um problema interdisciplinar, que tem base nos temas da vida real em sociedade, como, por exemplo, meio ambiente, saúde e economia, respondendo questões práticas e com muito trabalho de pesquisa envolvido. Todos os professores trabalham sua disciplina com um olhar voltado para ajudar a construir a resposta à questão estabelecida.

Além disso, os projetos são interseriados – alunos de séries diferentes podem participar da mesma oficina. Por isso, a funcionalidade de grupos do Geekie Lab, lançada em setembro, “veio atender a necessidade do Sesi Paraná”, como expressa Rosilei. Essa função foi desenvolvida devido a um grande desafio que o departamento enfrentava: “antes do lançamento, os professores tinham o trabalho de selecionar estudantes de cada série e turma para indicar aulas e enviar tarefas. Agora, os educadores podem criar grupos de alunos por oficina – isso facilitou muito a rotina e também trouxe maior personalização no uso da plataforma.”

“A Geekie é uma ferramenta que veio ajudar muito nossos resultados”

No SESI Foz do Iguaçu, o início do projeto foi um desafio para a equipe pedagógica, para os professores e para os alunos, pois havia pouco hábito de estudar em casa. “Mudar a visão dos educadores para planejar uma aula onde ele pensasse em atuar em sala de aula e pós classe foi trabalhoso”, conta Elisangela Trindade R. Pruner, orientadora pedagógica do colégio. Contudo a implementação da tecnologia da Geekie facilitou o processo de inovação da unidade: “analisamos como funciona o Geekie Lab, como trabalhar competências e habilidades, o que é ensino híbrido, como gostaríamos de aplicar isso e como sensibilizar toda a comunidade escolar – e aí colocamos o projeto em prática”, menciona Elisangela.

O SESI Foz do Iguaçu utiliza os dados do Geekie Teste em seu planejamento trimestral e semanal: “com a Geekie, conseguimos construir mais um histórico de resultados”, diz Rosilei. Com o Geekie Teste é possível mapear os resultados de aprendizagem dos alunos, saber quais pontos precisam ser melhorados e criar estratégias para avançar nesse sentido.

O relatório extraído da plataforma permite perceber as lacunas de aprendizado, ou gap, dos alunos em determinada área e, assim, os professores vão trabalhando as habilidades e competências que os estudantes precisam melhorar. A partir do relatório, é possível perceber o nível de aprendizagem dos alunos, seus erros, seus acertos e onde estão as dificuldades, além de avaliar em cada unidade dos Colégios SESI Paraná, onde é possível melhorar o desenvolvimento da aprendizagem.

E o Geekie Lab também ajuda nisso, por meio da indicação de tarefas e videoaulas. Nas semanas que antecedem as avaliações tradicionais do trimestre, os alunos estudam o conteúdo pela plataforma e trazem suas dúvidas para os professores. Rosilei diz que “a Geekie é uma ferramenta que veio ajudar muito nossos resultados”.

“É ótimo porque o aluno traz para o professor em tempo hábil as questões que teve dificuldade e consegue tirar suas dúvidas. Assim, quando chega a hora da avaliação, o estudante avançou na aprendizagem e tem mais clareza nos objetos de estudo. A plataforma auxilia o professor e os alunos”, diz Elisangela, orientadora pedagógica do SESI Foz do Iguaçu.

Dentre os professores com maior uso da plataforma, os da área de humanas estão se destacando. “O percentual de uso é grande e o resultado tem sido bem efetivo. Percebemos que as notas dos alunos têm tido um bom aumento”, diz Elisangela. Mas não são só os professores da área de humanas que percebem esse avanço – o professor Adelino Zanone, de Física, complementa que “o índice de desenvolvimento dos alunos vem aumentando bastante e o aprendizado está mais significativo”.

Camila Maria Novello e Gabriel Abreu Cainelli, alunos do 1º ano do SESI Foz do Iguaçu, compartilham sua experiência com a plataforma: “Além da explicação do professor em sala de aula, a gente também tenta ver as videoaulas e praticar os exercícios para entender o conteúdo”.

Elisangela destaca que percebeu os resultados do projeto a partir do retorno da família: “antes, os pais falavam que viam o filho estudar e ler pouco em casa. Agora, eles percebem uma mudança no comportamento – os filhos começaram a se dedicar mais na realização de tarefas em casa.” Mas esse processo não foi imediato – foi necessário incluir a família no processo de aprendizagem mostrando a importância do estudo por meio do Geekie Lab.

Outro retorno bem positivo na unidade Foz do Iguaçu foi o Simulador Sisu: a partir do resultado do Geekie Teste, o aluno consegue verificar se consegue entrar na universidade de sua escolha. Isso contribui para a motivação dos alunos, que procuram Elisangela e já contam os resultados: “os alunos ficam entusiasmados e isso nos deixa muito felizes, porque eles levam com seriedade o futuro deles”.

Essa parceria com a Geekie ajuda no objetivo do SESI Paraná de aprimorar seus resultados pedagógicos – nos últimos dois anos, o departamento conseguiu cultivar uma cultura de melhoria contínua analisando dados e sobretudo o que eles significam. O ponto forte é, de acordo com Rosilei, “a melhoria do nível de aprendizagem dos nossos alunos, colocando tecnologia e todas as suas facilidades em prol disso”.

Leia mais:

SHARE

SESI Paraná inova com oficinas de aprendizagem e projetos interseriados