Cases

SENAI SC compartilha sua experiência com avaliações externas

Os coordenadores das unidades Joinville Sul e Jaraguá do Sul do SENAI SC falam sobre suas experiências ao aplicar avaliações externas. Confira!

Essas duas unidades do SENAI SC fazem uso, desde 2013, do Geekie Teste, ferramenta de avaliação externa que auxilia a tomada de decisões pedagógicas e na eficiência do ensino, gerando informações sobre o desenvolvimento cognitivo de cada aluno.

Para Marcia Regina Kroll Vasquez, responsável estadual do Ensino Médio no SENAI SC, “o Geekie Teste consegue gerar subsídios para olharmos a qualidade da educação que estamos oferecendo. Com os relatórios, conseguimos obter dados sobre o que precisamos fazer para atingir nossos objetivos, e, a partir disso, criar estratégias para entregar a educação que nos propomos a realizar.”

Do início do projeto para cá, Marcia notou uma melhoria no engajamento principalmente dos docentes: “no começo, eles tinham dificuldades, mas hoje estão mais apropriados da ferramenta e sua importância. A assessoria que o Time Pedagógico da Geekie está fazendo com os coordenadores também tem trazido bons resultados – o coordenador amparado por mais informações e subsídios realiza um trabalho mais eficiente com os docentes”.

Essas unidades se destacam por algumas características. Em Joinville Sul, para comunicar-se com alunos, a equipe faz uso da ferramenta Google Classroom. Além disso, o colégio está com um processo de incorporação de novas tecnologias, como o celular em sala de aula. E também oferece a disciplina “Comunicação e Expressão”, que dá informações relevantes aos alunos sobre o mercado de trabalho, possíveis profissões e vestibulares.

Já o SENAI Jaraguá do Sul foi implantado em 2004 e hoje comporta 14 turmas de ensino médio. Os diferenciais do colégio são a tratativa com o estudante e também o preparo para o mercado de trabalho. Além disso, a unidade é a escola de SC com maior percentual de articulação com área técnica: no início de 2017, quase 90% dos estudantes estavam fazendo curso técnico e Ensino Médio ao mesmo tempo.

Confira a experiência dos dois colégios na hora de aplicar uma avaliação externa!

SENAI Joinville Sul: “a avaliação já foi incorporada pelos estudantes e pelos professores”

O colégio vem tendo resultados muito positivos com o Geekie Teste. Jairo Engster, coordenador do Ensino Médio e dos cursos técnicos da unidade, compartilha: “nós conseguimos criar dentro da nossa escola uma cultura onde a avaliação já foi incorporada pelos estudantes e pelos professores. Transformamos o dia da prova em algo esperado pelos alunos.”

O dia da avaliação externa é literalmente um evento. Na unidade Joinville Sul, é criado um ambiente similar ao ENEM, onde os alunos são organizados em salas por ordem alfabética e seguem regras em relação ao uso do celular. Essa prática ajuda os alunos a criarem uma referência quando eles forem realizar de fato os vestibulares. Além disso, na frente da escola, Jairo coloca um banner escrito “hoje é dia de 600”.

Geekie Teste SENAI SC Joinville Sul
Créditos: arquivo pessoal do coordenador Jairo Engster

Para motivar os alunos a atingir essa meta, a equipe pedagógica tem uma conversa com os alunos antes e depois do Geekie Teste.

Antes, os coordenadores e professores fazem reuniões com os estudantes para negociar metas de pontuação coletiva, de acordo com o desempenho da turma em avaliações anteriores. A partir dessa negociação, ocorrem algumas trocas. Se a turma atingir as metas estabelecidas, ela tem direito ao “Dia D”, em que os alunos definem um tema e vem para a escola caracterizados com esse tema, substituindo o uniforme tradicional. “Isso gera uma mobilização coletiva, porque o benefício é de todos os alunos. Quando eles conquistam, valorizam muito, e quando não conquistam, lamentam bastante”, compartilha Jairo.

“O Geekie Teste tem um papel central na preparação dos estudantes para o ENEM. É nossa principal referência e é muito estratégico para nós” – Jairo, coordenador do EM no SENAI Joinville Sul

Depois, já com os relatórios do Geekie Teste em mãos, a equipe se reúne e apresenta os resultados da prova, mostrando aspectos positivos e negativos em relação às metas anteriormente estabelecidas e a outras escolas que também fizeram o simulado. É uma mudança de perspectiva, pois, de acordo com Jairo, “historicamente, a educação trabalhou em cima do sentimento dos professores, de forma subjetiva. O Geekie Teste, com seus relatórios, nos dá a possibilidade de olhar para nossos estudantes de forma muito clara e objetiva, para identificar as fragilidades deles e do nosso processo”.

E tem tudo a ver com a qualidade do relatório: Marcia diz que, se bem explorado, “ele oferece dados muito ricos e relevantes”, tanto para o coordenador quanto para o professor.

A unidade Joinville Sul tem um jeito especial de destacar os alunos que foram melhor na prova. Jairo fala que “o sonho deles é fazer parte dos TOP 10, os estudantes com melhor desempenho da unidade por área de conhecimento. Outro objetivo é fazer parte do grupo dos ‘caras’, aqueles que conseguem ficar entre os cinco melhores do SENAI SC”.

Essa conquista é muito expressiva para os jovens, pois “os meninos mais famosos geralmente são aqueles que se destacam no esporte ou que mais aprontam. O TOP 10 é uma forma de colocar em evidência os estudantes com bom desempenho na avaliação”, como diz Jairo. E o destaque não é exclusivo dos alunos, pois os professores também têm seu trabalho valorizado, especialmente aqueles das áreas nas quais os alunos tiveram resultados mais significativos.

Todo esse trabalho demonstra seus frutos: a partir de 2014 para cá, o colégio vem melhorando o desempenho dentro do conjunto de escolas particulares de Joinville. A unidade apareceu com destaque significativo em matemática, por exemplo. E uma das razões para o colégio conseguir esses resultados é o uso do Geekie Teste, já que “é nosso principal projeto considerando preparação para o ENEM e vestibulares”, diz Jairo.

SENAI Jaraguá do Sul: “como melhorar o desempenho dos alunos?”

Elvis, professor de matemática dessa unidade, compartilha que “Muitos alunos da nossa região não valorizam a questão de rendimento no ENEM, porque em sua grande maioria não prestam vestibulares de universidades que consideram essa nota. A maioria vai para instituição de ensino privadas. Assim, fica complicado motivar o aluno.” O perfil do estudante da região de Jaraguá do Sul é mais voltado ao mercado de trabalho. Por isso, um desafio do colégio é motivar o aluno a focar em ENEM e demais vestibulares.

De acordo com Jonas Coelho, coordenador do Ensino Médio da unidade, “o Geekie Teste acaba sendo um indicador de aprendizado do aluno e da qualidade de ensino em cada área de conhecimento”. A questão era “como melhorar o desempenho dos alunos?”. A partir dessa dúvida, a equipe pedagógica desenvolveu uma série de estratégias, e uma delas foi o trabalho do professor Elvis, de matemática.

Elvis conta que, no início do ano, firmou um contrato pedagógico com seus alunos, no qual mostrou a importância do Ensino Médio, além de dados sobre o rendimento deles. A nota geral da turma estava ruim, e os estudantes reconheceram isso. Na semana pedagógica, o educador fez uma análise dos assuntos que mais caíram nos seis últimos anos do ENEM, procurou várias opções de cursos superiores e montou aulas com inserções de vídeos. Tudo isso para motivar os alunos e incentivá-los a ter bons rendimentos nos vestibulares.

“Durante o ano inteiro, agi focado nesse tipo de conteúdo, trabalhando listas de exercícios modelo ENEM. Os alunos honraram o compromisso mesmo tendo dificuldade. Foi todo um trabalho de motivação – elogiamos bons alunos, citamos cases e mostramos vídeos” – Elvis, professor de matemática no SENAI Jaraguá do Sul

Na hora da avaliação do Geekie Teste, os resultados mostraram que o projeto foi bem sucedido: na 1ª aplicação, a média tinha sido 471 e, na 2ª, foi 564. Isso representou um aumento de 93 pontos TRI!

Mesmo com esses resultados tão expressivos, Elvis declara que viu alunos nota 10 tirando notas bem abaixo da médio, como 300. E por quê? Porque não estavam motivados. “Ainda podemos ser muito melhores nisso”, declara o professor.

Jonas diz que “o professor não acredita que mudar sua ação vai causar um efeito melhor. Para você convencer a si mesmo e aos outros que vai dar certo, precisa mostrar resultados. Por isso, estamos indo por esse caminho. É uma sacada nova para a gente, mas vimos que traz benefícios. Há todo um trabalho de preparação e nossa pretensão é disseminar isso para outras áreas”.

Você também pode gostar de:

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *