Colunas

Projeto “Professor Multiplicador Geekie” coloca o educador no centro da transformação escolar

Especial professores multiplicadores

Nos artigos do Especial Professores Multiplicadores, já conhecemos a experiência de Maja Callegari, do Colégio Koelle, e também de Rafael Ribeiro, do Colégio Mater Dei SP.

Relembre a agenda de artigos do Especial:

  1. Maja Callegari: “O que, de fato, significa ser uma professora multiplicadora?”
  2. Rafael Ribeiro: “A importância do professor multiplicador na organização escolar”
  3. Adislan Fernandes: “Quais foram os resultados de ser “Professor Multiplicador Geekie” para a minha vida profissional? #sóvai
  4. Bruno Abdon: O engajamento dos professores no novo fazer pedagógico
  5. Mario Sant’Anna: Mais uma história de amor…

Neste terceiro artigo, vamos entender como foi participar do projeto “Professor Multiplicador Geekie” para Adislan Fernandes, professor de informática no Objetivo Porto Velho. Vamos lá?

Quais foram os resultados de ser “Professor Multiplicador Geekie” para a minha vida profissional? #sóvai

Por Adislan Fernandes
Professor de informática do Fundamental II do Objetivo Porto Velho

No início de 2018, fui indicado pelo diretor do colégio, Augusto, para fazer parte do projeto “Professor Multiplicador Geekie”. Meu primeiro sentimento foi de surpresa, mas não pensei duas vezes: gosto de desafios e vi um lugar de aprendizado; portanto, aceitei.

Logo no início do projeto, fui apresentado à toda a equipe da Geekie. O consultor Rabelo Filho se mostrou uma autoridade na plataforma Geekie One e foi um braço direito em minha jornada. Aprendi muito com ele. Também conheci os outros professores multiplicadores que participaram do projeto e mantive um contato direto com eles por meio das trocas virtuais semanais, realizadas com mediação da Dija Santos, consultora pedagógica da Geekie.

Assim, formamos essa equipe fantástica, que tinha como objetivo oferecer um suporte presencial necessário e rotineiro para o uso do Geekie One na escola em que cada um dos professores atuavam.

O que eu aprendi com o projeto “Professor Multiplicador Geekie”?

Dentre tantos aprendizados que tive com o projeto, reparei que as experiências de outras escolas do Brasil são muito diferentes da vivência da minha escola. Quando um determinado desafio era lançado para a rede de professores multiplicadores, o engajamento dos professores, a coleta de informações e o retorno era sempre diferente. Tivemos poucas coisas em comum entre as escolas em que a rede atuava, mas o sucesso do projeto foi o mesmo para todas.

E isso conversa com outro aprendizado que tive: a percepção de que existe um tipo de metodologia para cada escola. Para cada situação que presenciei, era preciso fazer algumas adaptações para melhor se encaixar no contexto da escola.

A introdução do Geekie One no contexto escolar trouxe muitas mudanças positivas

Logo no começo do projeto no Objetivo Porto Velho, passamos por um processo de formação com os professores. A reação deles quando o Geekie One foi apresentado foi parecida com a minha: um misto de ansiedade, pressa e felicidade. Já queríamos começar logo a explorar ao máximo o aplicativo. Me senti em casa, e acho que isso me motivou muito a querer entender ainda mais o Geekie One.

A fim de que o Geekie One fosse um grande sucesso no colégio, professores e coordenação se uniram. Todos se ajudaram por ser algo novo e desafiador, e também desempenharam um papel de multiplicador. A equipe começou a compartilhar boas práticas de uso da plataforma, e isso também despertou novas habilidades que os professores nem tinham ideia de que já possuíam.  

Dentre as novidades que eram percebidas na escola, meu destaque vai para a professora de química. Ela começou a aplicar a metodologia da sala de aula invertida, pedindo para que, antes da aula, os alunos estudassem o conteúdo do Geekie One, e viessem para a classe já com conhecimentos prévios.

Nas minhas aulas, a principal novidade foi o silêncio colaborativo, parte das rotinas e combinados de Educação Digital: quando eu chegava em sala, invés de gritar “silêncio”, ou até mesmo bater na mesa, eu simplesmente levantava a mão e, em seguida, todos os alunos também levantavam a mão, e a classe toda ficava em silêncio. Isso se espalhou para outras turmas e foi bem produtivo.

Para mim, uma das maiores vantagens do Geekie One é a capacidade de aproximação dos alunos com os estudos. Alguns alunos me contaram que, às vezes, mesmo quando não estavam em casa, chegava notificação no celular, e, na hora, eles ficavam curiosos e faziam a tarefa.

Impactos permanentes e duradouros do projeto na minha vida

Uma habilidade que aprendi no projeto  “Professor Multiplicador Geekie” e vou levar para a vida foi o foco no problema e no aprendizado, um dos valores presentes na cultura organizacional da Geekie. Quando nos deparamos com um problema, logo queremos a solução, ou até mesmo resolver o problema de cara sem entendê-lo completamente. Aprendi que, quanto mais olharmos de perto o problema, quanto mais formos a fundo, de fato conseguimos saber por onde começar. Muitas vezes, não é tão simples, ou até mesmo a solução não depende de nós. Por isso, é importante saber por onde iniciar e, aí, investigar antes de agir por impulso.

Em apenas seis meses, ganhei algumas habilidades que me levaram onde estou hoje. Sinto que consegui alcançar metas que estabeleci para mim mesmo, estudar o que de fato importa, saber separar momentos e criar rotinas. De forma geral, o sentimento é de gratidão pela oportunidade.

Por fim, deixo minhas palavras a você que um dia pensou como eu: não tenha tanto medo do novo. Só vai!

Relembre a agenda de artigos do Especial:

  1. Maja Callegari: “O que, de fato, significa ser uma professora multiplicadora?”
  2. Rafael Ribeiro: “A importância do professor multiplicador na organização escolar”
  3. Adislan Fernandes: “Quais foram os resultados de ser “Professor Multiplicador Geekie” para a minha vida profissional? #sóvai
  4. Bruno Abdon: “O engajamento dos professores no novo fazer pedagógico”
SHARE

Projeto “Professor Multiplicador Geekie” coloca o educador no centro da transformação escolar