Colunas

Como criar um site e se tornar um professor autor

O professor autor não é mais alguém que apenas expõe conteúdo – ele o produz de acordo com as necessidades da turma. Nosso novo colunista, o professor Alfero Mendes ensina a criar um site de maneira simples e inovar em sala de aula.

Por que ser um professor autor? No atual contexto histórico, o uso das ferramentas tecnológicas é essencial para o desenvolvimento da sociedade. Ignorar esses recursos no processo de ensino e de aprendizagem pode ser um erro na construção do conhecimento e na formação de um ser humano autônomo, cidadão e capacitado para o mercado de trabalho.  

O intenso tráfego de informações transmitido por diversas mídias acabou despertando um grande desafio para a educação formal, pois, muitas vezes, o maior problema no processo de aprendizagem não está relacionado à falta de acesso à informação ou às tecnologias. O real desafio está na pouca capacidade que muitos professores têm ao lidar com a variedade e a quantidade de informações e recursos tecnológicos disponíveis.

Se a informação está disponível em canais mais rápidos e interessantes, para que serve a escola? Qual a função da Educação nesse contexto? Qual é a importância da informação na compreensão da realidade? Qual é o papel do professor nesse novo cenário da ubiquidade, onde, por meio dos dispositivos móveis, celulares, tablets, tornou-se possível acessar qualquer conteúdo  de qualquer lugar e a qualquer hora? Uma notícia lida hoje pode não significar nada amanhã. Mas entendê-la pode ser fundamental para o cidadão se situar no mundo e na história.

Na era da internet, o professor autor não pode apenas consumir informação

Entretanto, há uma realidade preocupante: alunos e professores que têm acesso a recursos digitais através de computadores, tablets e smartphones, mas os utilizam de maneira limitada e pontual, muitas vezes restritos ao envio e recebimento de mensagens, para jogos, pesquisas simples e visualizações de vídeos. Devido à falta de formação, conhecimento e domínio sobre as diversas ferramentas disponíveis, eles se encontram mais na condição de usuários e reprodutores de informação do que criadores de conteúdos e conhecimentos. Logo, o indivíduo que não consegue manusear ferramentas tecnológicas tem dificuldade em refletir sobre o domínio e o controle que as empresas, grupos sociais e governo exercem sobre os membros de uma sociedade através do universo digital.

A popularização da internet, juntamente com a expansão da banda larga, possibilitou metodologias de aprendizagem além da tradicional forma de ensino baseada na exposição de conteúdos e registros no quadro. A internet promoveu uma nova relação com o conhecimento – novas formas de acesso, outras sensações, leituras, interações e experiências cognitivas.

Esse novo paradigma de educação formal faz trepidar os alicerces da escola que, por séculos, se colocou como protagonista na relação do aluno com o conhecimento. O professor, que antes era delegado à tarefa de promover entre os seus alunos a aquisição do saber, agora adquire um novo papel no processo de aprendizagem: o de ser o professor autor, um gestor do conhecimento, tendo como pressuposto que todo aluno aprende no seu tempo, no seu ritmo e nos mais variados espaços, inclusive distantes da sala de aula.

Novas ferramentas para o professor autor e a importância do letramento digital

O uso dos dispositivos móveis ampliou as possibilidades de acesso e apropriação de informações. Já objetos digitais de aprendizagem – como simuladores, jogos e recursos dinâmicos de apresentação – ganham destaque no cenário educacional fazendo com que a escola enfrente o desafio de criar condições para que o aluno desenvolva suas habilidades e competências não só cognitivas, mas que adquira, ao finalizar a sua formação básica, uma cultura digital. Afinal, é uma ilusão achar que a geração que hoje ocupa as carteiras escolares, por ter facilidade em manusear inúmeros gadgets, já está preparada para exercer a sua cidadania na sociedade da informação. É dever da escola formar pessoas capacitadas para, através do letramento digital, promover o seu desenvolvimento humano, profissional e social.

O letramento digital pode ocorrer de diversas formas. Uma ferramenta interessante e eficiente que o professor autor pode utilizar é a publicação do seu próprio site, pois ele favorece a fluência:

  • Na idealização e produção conteúdo,
  • Na postagem em meios digitais,
  • Na realização de atividades avaliativas e
  • Na criação de um canal de comunicação entre aluno e professor.

Como criar um site com seus alunos

Tanto nas escolas públicas ou privadas, o smartphone é um aparelho comum entre os alunos e a sua maioria está conectado à internet; por isso, o uso de um site como um recurso de aprendizagem pode contribuir para mostrar para o aluno que os dispositivos móveis não são apenas aparelhos para o entretenimento e comunicação. Pelo contrário, eles podem contribuir de forma significativa com a sua aprendizagem. Com um celular, é possível flexibilizar o ensino, não restringindo o aprendizado ao espaço físico da sala de aula.

Para criar um site, o professor pode utilizar da plataforma Wix (wix.com) que oferece a oportunidade de montar um site gratuito e intuitivo. Não precisa de conhecimento em programação ou domínio da linguagem HTML, basta apenas arrastar e soltar os objetos que irão compor a sua homepage (a página inicial).

Passo a passo com o WIX:

  1. Digite na barra de endereço do seu navegador wix.com para acessar a página de serviço do Wix.  Pressione o botão ENTRAR e faça o seu registro utilizando um email e uma senha. Você também pode se registrar utilizando os dados do Facebook ou do Google+.
  2. Ao acessar a página inicial da plataforma, escolha o tipo de site que deseja criar. Observe que há inúmeros modelos prontos, basta apenas selecionar aquele que mais lhe agrada e clicar nos itens que deseja alterar. No lado esquerdo da página, encontramos o painel de controle, utilizado para inserir textos, imagens, botões de navegação, músicas, slideshows, vídeos, entre outras coisas. Caso queira apenas modificar os textos já existentes na página inicial, clique nos objetos que deseja editar.
  3. Na parte superior, à esquerda, encontramos o botão MENU DE PÁGINAS. Utilizamos esta funcionalidade para inserir novas página ou ir para qualquer página já criada, que se abre ao pressionar este botão.
  4. Após realizar todas as alterações desejadas, clique no botão SALVAR e, em seguida, no botão que tem a imagem de um aparelho celular. Esse botão organiza os dados para que sejam visualizados corretamente em dispositivos móveis. Esse procedimento é necessário para que as informações do seu site sejam facilmente visualizadas em celulares, tablets ou smartphones.
  5. Após concluir os passos acima, clique em PUBLICAR e o seu site está na internet! Caso tenha alguma dúvida, é só consultar a aba AJUDA.

Para que os alunos acessem o site, basta apenas indicar o seu endereço e mantê-lo atualizado com novas publicações para que ele seja sempre visitado. Utilizando o site, o professor autor pode disponibilizar inúmeros materiais de estudos, selecionar textos e indicar leituras sem gastar nada com sua reprodução. Pode aplicar atividades e identificar as dificuldades de compreensão do conteúdo estudado. Para se ter uma ideia do que é possível fazer com o uso de um site pessoal, indico a consulta de três sites de professores autores que ampliaram a sua prática pedagógica:

Um site de filosofia para os alunos do Ensino Fundamental 1 e 2 criado pelo professor Marcos Rogério com o objetivo de ampliar a compreensão dos conteúdos desenvolvidos na sala de aula.

Site do professor Heldis, que leciona as disciplinas de Ciência e Biologia nas redes pública e privada. O site surgiu com o intuito de oferecer para os alunos da rede pública de ensino uma possibilidade de aprofundar os assuntos estudados; depois, foi inserido na sua prática pedagógica na rede de ensino privada.

Ao perceber as dificuldades dos seus alunos em compreenderem alguns conceitos matemáticos, a professora Teresa Chiacchio criou o site Matemagica que, por meio de jogos e de uma forma divertida, trabalha o raciocínio lógico e as habilidades da matemática.

Esses sites nos mostram que o professor autor, além de conduzir o processo de aprendizagem, é um produtor de conteúdo e, portanto, cria ferramentas para divulgar o seu trabalho e flexibilizar o ensino. Por meio de um site, a sala de aula toma dimensões invisíveis no que diz respeito às metodologias de ensino e aprendizagem, porque se aproxima mais das rotinas sociais digitais, onde a comunicação se mostra onipresente, uma vez que o acesso à informação pode ser feito a qualquer hora, lugar e motivo.

Utilizando o site criado pelo professor, o aluno passa a ser protagonista da sua aprendizagem, pois encontra naquele ciberespaço conteúdos e atividades que, além de abordadas na sala de aula, podem ser revistas, realizadas e estudadas de acordo com as suas necessidades e interesses – sem falar na busca por novos conteúdos que complementem sua trajetória de forma individualizada.

* Alfero Mendes é professor da rede particular de ensino, bacharel e licenciatura plena em Filosofia e Geografia, especialista em Filosofia Social, Ensino Religioso Escolar, uso das tecnologias digitais na educação e pós-graduando em Educomunicação e Midialogia. Produz conteúdo sobre ferramentas digitais no ensino no site www.alferomendes.com.br/

2 Comments

  1. 18 de março de 2017 at 20:39 — Responder

    Parabéns e muito obrigado pelas dicas, professor Neto.
    Sucesso!!

    • 19 de março de 2017 at 01:24 — Responder

      Muito obrigado pela leitura do artigo. Acredito que enquanto existir um professor numa sala de aula, permanece a utopia de um mundo melhor e um ser mais humano.

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *