Notícias

Metodologias ativas aumentam engajamento e motivação de educadores e estudantes

O novo contexto escolar exige mudanças de mentalidade, de rotinas e de metodologias de professores, educadores e até de estudantes. Além de potencializar o processo de ensino-aprendizagem, essas metodologias estimulam toda a comunidade escolar a adotar inovações cada vez mais envolventes em sala

Há um consenso muito importante quando o assunto é inovar em sala: as aulas expositivas têm sua importância e não vão desaparecer com as novas tecnologias e metodologias de ensino. Além de consenso, isso é um fato. Porém, é possível que essas aulas sejam, já hoje, apenas uma herança de um ensino calcado em um paradigma tradicional que deixou de acompanhar a realidade do aluno há algum tempo. Essas aulas continuam por aí, mas cederam espaço para rotinas, dinâmicas, metodologias e práticas ativas que realmente ajudam estudantes a construírem seus próprios conhecimentos.

Esse modelo tradicional de aulas foi um fator de incômodo para a professora de Geografia, Cíntia Lopes Rodrigues, do Colégio Mater Dei, de São José dos Campos. Com 14 anos de experiência, a educadora conta que havia percebido que a posição de detentora do conteúdo já não servia para as aulas com seus alunos do 9º ano do Ensino Fundamental II e com os demais estudantes com os quais ela têm contato dentro da escola.

Cíntia revelou essa percepção e conversou sobre suas experiências com o uso de metodologias ativas nos anos finais do Ensino Fundamental II em um bate-papo on-line realizado pela Geekie. Ela e a coordenadora pedagógica do Mater Dei São José dos Campos, Soraya Moreira Guedes, conversaram com a editora de Conteúdo da Geekie, Lívia Navarro de Mendonça, sobre as possibilidades de inovar em sala de aula e os desafios que essa inovação traz para educadores, coordenação e também para estudantes.

É hora de mudar, mas como?

Cíntia alimentava uma certa insatisfação com sua prática há algum tempo, porém resolveu que não podia ficar acomodada naquela posição. Depois de anos lecionando em um modelo mais tradicional de aula, ela começou a testar algumas metodologias novas, em 2017. Contudo, foi apenas em 2018, quando o Colégio Mater Dei São José dos Campos resolveu adotar o Geekie One para os alunos do último ano do Ensino Fundamental II, que Cíntia sistematizou uma série de atividades baseadas em metodologias ativas.

Todo esse processo, no entanto, só foi possível quando ela aliou as novas práticas com uma nova mentalidade. Foi um caminho necessário que a levou para outro patamar como educadora.

“O maior desafio foi abrir mão do papel de detentora do conhecimento. Aceitar sair dessa posição para estar junto com os alunos mesmo, para ajudá-los mostrando caminhos e possibilidades e colocá-los em cena. Esse foi o desafio inicial, mas depois que comecei a trabalhar dessa forma, foi muito tranquilo. Seguir com essa linha foi muito confortável e prazeroso”, confessa Cíntia.

Inovação em conjunto

A atitude de Cíntia foi um desafio imposto por ela mesma. Ela resolveu que precisava repensar as práticas para se tornar uma professora mediadora. Essa decisão surgiu tanto de seu próprio incômodo, como também com a observação mais crítica de seus estudantes. Ela conta que seus alunos e alunas estavam desmotivados em aprender com suas aulas.

Essa constatação transformou no principal fator motivador para a mudança. Um outro fator, que chegou no momento exato, foi o Geekie One e as formações em metodologias ativas fornecidas pelos consultores da Geekie.

Ao adotar o Geekie One, em 2018, a escola passou a receber uma série de formações sobre práticas, metodologias e rotinas ativas em sala de aula. Essas formações preparam os educadores para usar a plataforma e os ajudam a extrapolar as possibilidades apresentadas no material, empoderando-os para criar suas próprias atividades.

Nesses encontros, os consultores da Geekie conversam com os educadores sobre como as metodologias ativas levam em consideração o protagonismo dos estudantes na mobilização para o aprendizado. Nesses diálogos, é apresentado que as diversas técnicas prevêem a participação dos professores e professoras em uma posição de mediadores do conhecimento, tendo em vista os objetivos de aprendizagem que devem ser então desenvolvidos com a turma.

Quem acompanhou esse processo de Cíntia e de todo o corpo docente, foi a coordenadora pedagógica e professora de matemática do Mater Dei São José dos Campos, Soraya Guedes. Com 32 anos de carreira, ela mostra a mesma motivação que Cíntia ao falar das possibilidades do Geekie One e os benefícios para educadores e estudantes de seu colégio:

“Sou da época que rodávamos o mimeógrafo e hoje temos o Geekie One, uma tecnologia de ponta. Só quem tem essa experiência de tantos anos consegue avaliar, em termos qualitativos o quanto isso tem sido muito bom para o professor em termos de otimização de tempo, qualidade de ensino e organização das informações”, conta a coordenadora.

Engajamento e reconhecimento

Todo esse trabalho desenvolvido por Cíntia e apoiado por Soraya rendeu bons frutos. No final de janeiro de 2019, Cíntia recebeu o prêmio “Educadora Transformadora” pelo seu projeto “Geografia Mão na Massa”. O reconhecimento foi dado pela rede WEducation, da qual o Mater Dei São José dos Campos faz parte.

Apesar desse prêmio concedido durante o evento “Além do Giz”, Cíntia conta que o maior reconhecimento foi aquele vindo de seus estudantes. A adoção de novas metodologias em sua aula aumentou o engajamento e a motivação de sua turma do 9º ano do Ensino Médio. Ela planejou uma série de atividades, com música, mapas mentais, apresentações, produção de vídeo, entre outras, e viu seus alunos e alunas ganharem autonomia e se tornarem protagonistas ao longo do ano.

“Eu diria que o envolvimento dos alunos foi total porque eles tiveram que trabalhar o tempo todo e apresentar os resultados. Eles acompanhavam e complementavam o que os colegas diziam, direcionavam uns aos outros. Foi muito bacana e a maturidade que eles foram desenvolvendo para avaliar as potencialidades dos amigos. O envolvimento foi tão grande que na terceira atividade eu nem mexi nas nota deles”, conta muito orgulhosa e animada.

Confira como foi o bate-papo entre a professora Cíntia, a coordenadora Soraya e a editora de conteúdo, Lívia Navarro:

Inscreva-se e participe do próximo bate-papo online: “Novas formas de avaliação para um novo contexto escolar”

Quer inovar em sala também? Então leia mais:

Casos reais de como as metodologias ativas estão apoiando as escolas

E-BOOK: Práticas ativas para não esquecer mais


SHARE

Metodologias ativas aumentam engajamento e motivação de educadores e estudantes