Cases

‘Maristão’ atribui sucesso ao envolvimento dos professores

O ‘Maristão’, Colégio Marista de Brasília, aposta no movimento de professor para professor, valorizando boas práticas. Ele é referência em tecnologia educacional – saiba mais sobre suas estratégias de formação e a parceria de sucesso com a Geekie:

O Colégio Marista de Brasília, apelidado carinhosamente de Maristão (pois abriga os alunos maiores, de Ensino Médio, em contraste com o Maristinha, onde fica a Educação Infantil e Fundamental) é referência em tecnologia educacional. Com perfil inovador, a escola recebe visitas frequentes de outros educadores e mesmo de secretarias de Educação do resto do país – eles buscam desvendar os segredos por trás do alto engajamento de alunos e professores nas ferramentas digitais.

“Os visitantes chegam esperando encontrar equipamentos de ponta, uma infraestrutura diferenciada”, comenta a diretora educacional, Andréa Studart Galvão. “Mas não é pelos aparelhos que nos destacamos, é pela capacitação dos profissionais. Aqui, valorizamos o movimento de professor para professor”.

“Aqui, valorizamos o movimento de professor para professor”, Andréa Studart, diretora educacional

A diretora explica que toda novidade chega em formato piloto: uma ou duas turmas lideradas por professores early adopters, aqueles que têm facilidade e interesse inato por tecnologia. Assim, muitas tendências conquistaram seu espaço no Colégio Marista: a própria Geekie, que funciona em conjunto com ferramentas como o Blackboard e abordagens do século 21 como o Ensino Híbrido. Cada estratégia adotada tem um único objetivo final – atingir o aprendizado do aluno. Afinal, afirma Andréa, “a tecnologia só serve se faz com que o jovem aprenda mais e melhor”.

A parceria Geekie Lab e Maristão

Maristão - professores formam professores
Professores formam professores: no Maristão, a estratégia mais eficiente é o trabalho em equipe e a valorização profissional.

A entrada do Geekie Lab no Colégio Marista de Brasília não poderia ter sido diferente. Como primeiro passo, a equipe docente recebeu uma visita da Geekie, que realizou o primeiro treinamento. “Percebemos que precisávamos de letramento digital para os professores e apostamos naqueles que compraram a ideia desde o primeiro momento”, relembra Andréa. “Num primeiro momento, isso foi feito por agentes externos; mas, agora, professores capacitam outros professores”. Uma Analista de Tecnologia Educacional, Julianna Cauchick, apoiou todo o processo.

Por meio desses encontros, os professores avançaram na compreensão de como o uso da tecnologia mudaria seu lugar em sala de aula. Para criar uma rede de multiplicadores, o Colégio valoriza aqueles que participam, em vez de punir os menos engajados: dentre as recompensas, estão matérias publicadas no portal online da escola, compartilhando suas boas práticas, e cursos de formação continuada como o de Ensino Híbrido oferecido pela Fundação Lemann.

Para criar uma rede de multiplicadores, o Colégio valoriza aqueles que participam, em vez de punir os menos engajados.

“Por causa desse investimento, criamos um grupo de professores muito críticos, que não aceitam qualquer coisa. Isso garante a qualidade do processo”, afirma Julianna.

O professor que mobiliza

Alunos Maristão
Pesquisa realizada com os líderes de turma mostrou o sucesso da plataforma: ela continuará sendo utilizada em 2017 (clique para aumentar)!

Para testar o uso do Geekie Lab, foram convidados estudantes de alto desempenho do 3º ano; porém, qualquer aluno interessado, mesmo de séries abaixo, encontrou portas abertas para participar. Para a diretora, essa acolhida foi essencial. Ela explica que a escola opta por montar grupos não por série, mas por perfil, interesse e afinidade.

A plataforma não foi um sucesso imediato. Os alunos receberam acesso, mas ficaram livres para acessar o conteúdo online apenas quando quisessem, sem nenhum incentivo dos educadores. Não demorou para que o Maristão percebesse a necessidade um professor padrinho, alguém que motivasse a turma – esse professor foi Wesley Xoteslen, de matemática, escolhido por ser admirado pelos jovens! “No começo, ele foi resistente”, admitiu a analista, “mas, com a proximidade do ENEM e dos vestibulares, começou a pedir ajuda aos colegas, a empolgar os alunos”, completa. “Eu posso garantir que o sucesso de os alunos estarem acessando o Geekie Lab e fazendo os exercícios se deve ao professor”.

“Posso garantir que o sucesso dos alunos no Geekie Lab se deve ao professor” Julianna Cauchick, analista de tecnologias educacionais.

No final de 2016, os estudantes já tinham acesso à plataforma de ensino personalizado como tarefa de casa, estações de trabalho em sala de aula, integrada ao Blackboard e como ferramenta para a recuperação processual. O envolvimento disparou especialmente nos meses que antecederam o Exame Nacional do Ensino Médio, embora também tenha se refletido nos resultados de avaliações internas.

Alunos Maristão
Além de avaliar a satisfação, a pesquisa pediu que os alunos sugerissem melhorias, que serão implementadas futuramente (clique para aumentar).

Os alunos do Maristão falam sobre o Geekie Lab

Devido ao sucesso, o Maristão se propôs a continuar o uso do Geekie Lab em 2017. Parte dessa certeza se deve aos próprios estudantes, que são ouvidos, ao final de cada ano letivo, sobre o que funcionou ou não em seu processo de aprendizagem. Foram entrevistados 14 alunos (os representantes das turmas de 3º ano): desses, 10 afirmaram que gostaram de estudar na plataforma e 1, que gostou de estudar online, mas sozinho. Isso representa uma aprovação de 78.5%! Mais de 78% também confirmaram que as videoaulas atenderam às suas expectativas sempre ou na maioria das vezes.

Também pedimos aos jovens que sugerissem o que gostariam de melhorar ou acrescentar ao Geekie Lab – afinal, estamos em constante desenvolvimento para atender às suas necessidades. Um pedido que apareceu com força? A possibilidade de criar e compartilhar resumos, resoluções e fotos sobre os assuntos estudados foi citada por 71% deles – em 2017, isso já será realidade para os professores, que poderão incluir seus próprios materiais e enviá-los para os alunos via plataforma!

Gostou dessa história? Conheça outros cases de sucesso:

2 Comments

  1. 22 de março de 2017 at 00:33 — Responder

    si corect descris…Tragic, e ca e asa!“si totuÅŸi, cu ce au greÅŸit tinerii din ziua de azi?” nu ei au gresit,aia dinainte,culmea e ca nici nu recunosc(ca i-au nascut in comunism(!),ca au creat comunismul,etc)!!Si mai tragic ca nu este &#&080;iesire8#8221;ࢸ

  2. 3 de novembro de 2017 at 17:47 — Responder

    *I?m impressed, I must say. Really rarely do I encounter a blog that?s both educative and entertaining, and let me tell you, you have hit the nail on the head. Your idea is outstanding; the issue is something that not enough people are speaking intelligently about. I am very happy that I stumbled across this in my search for something relating to this.

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *