Colunas

Como usar o processo criativo para inovar na escola

No ambiente escolar, enfrentamos diariamente muitos desafios de diversas naturezas que exigem de nós soluções rápidas e práticas; o que nem sempre é fácil, pois muitas vezes não percebemos que as soluções mais simples podem ser as mais efetivas. Neste contexto de resolução de problemas, é importante, antes de pensar nas soluções, perceber e levantar quais são as reais necessidades da comunidade escolar, tendo em mente qual é o perfil da escola com base na missão, visão e nos valores que norteiam o nosso trabalho. Essa autoavaliação constante é fundamental para que possamos tomar decisões mais acertadas de modo a nos adequar ao perfil da nossa escola. Ou seja, para inovar, é imprescindível ter clareza acerca do que queremos oferecer.

Uma vez levantadas as necessidades da escola em que estamos, é essencial identificar como trabalhar esses desafios, o que com certeza ficará muito mais fácil com as nossas dicas.

No nosso primeiro artigo, Como o processo criativo mudou o nosso olhar de educadoras sobre os desafios da nossa escola, falamos um pouco sobre o uso do Design Thinking e do Pensamento Visual no nosso trabalho, o que tornou as nossas práticas muito mais agradáveis e atrativas aos olhos dos alunos.

Como inovar com duas abordagens: o Design Thinking e o Pensamento Visual

Vale ressaltar a diferença entre essas duas abordagens, que são passíveis de adaptações. Enquanto o Design Thinking se propõe a descobrir, definir, criar e experimentar soluções para problemas complexos, o Pensamento Visual comunica ideias através do olhar, ver, imaginar e comunicar.

Assim, é interessante inovar usando o Design Thinking em aulas, oficinas e reuniões que tenham como objetivo levantar problemas e/ou pensar em soluções. Por exemplo, é possível desenhar o pensamento para diminuir índices de evasão escolar, melhorar a presença da escola no seu entorno,   arrecadar fundos (principalmente no caso de escolas públicas), promover a participação efetiva dos pais na vida escolar do aluno, estreitar parcerias com empresas, traçar estratégias pedagógicas, inserir a tecnologia em sala de aula e repensar os métodos de avaliação.

Inovar com anotação criativa
Anotação criativa de um curso online elaborada pela professora Elisangela.

O Pensamento Visual, por outro lado, facilita a comunicação e, no ambiente escolar, pode ser utilizado através de suas três ferramentas nos seguintes contextos:

  • Pode-se utilizar mapas mentais para inovar dentro e fora da sala de aula: para organizar o conteúdo de uma aula, sintetizar os resultados de reuniões, levantar as características do dia a dia de um curso, enfim, para relacionar conceitos e ideias.
  • Podemos utilizar a facilitação gráfica para explicar as atribuições dos diferentes setores da escola (como na foto da capa, que resume o trabalho da Orientação Educacional) ou transmitir conteúdos nas aulas, pois esta é uma ferramenta dinâmica e cativante e que pode acontecer em tempo real. A ideia aqui é desenhar conceitos.
  • É possível utilizar as anotações criativas para planejar o nosso trabalho de forma visual, preparando aulas, reuniões, planos de ação, organizando tarefas, registrando o conteúdo de cursos e palestras. Esta é uma forma de sistematizar informações de forma a facilitar a memorização e a assimilação do conteúdo, de modo a economizar tempo.

A intenção é, portanto, provocar uma mudança mental em relação às demandas do nosso dia a dia na escola, mostrando que podemos planejar, executar ações e resolver problemas de forma mais leve, dinâmica, criativa e participativa em menos tempo. Para aplicar o Design Thinking e o Pensamento Visual na sua escola, basta seguir as dicas de materiais que demos no artigo Inovação educacional que cabe no bolso.

No nosso próximo artigo, vamos dar dicas de como planejar estrategicamente o nosso trabalho na escola, tanto na docência quanto na gestão escolar.

* Elisangela Goulart e Vanessa Giron são colunistas do InfoGeekie. Elisangela é professora e geógrafa de formação, com MBA em educação cognitiva. Professora desde 2010 e Orientadora Educacional desde 2015 no Centro Estadual de Educação Tecnológica “Paula Souza”. Utiliza o Design Thinking e o Pensamento Visual nas suas práticas educacionais desde 2015. Entre em contato: emottagoulart@gmail.com

* Vanessa Giron é formada em Letras, português e grego clássico, e mestre em Letras Clássicas pela USP. Professora desde 2011 e Coordenadora de Ensino Médio desde 2015, no Centro Estadual de Educação Tecnológica “Paula Souza”. Utiliza o Design Thinking e o Pensamento Visual nas suas práticas educacionais desde 2015. Entre em contato: profvanessagiron@gmail.com

SHARE

Como usar o processo criativo para inovar na escola