Cases

Como essa escola do Piauí conquistou seu lugar no TOP 20 do ENEM

Diretora da escola que ficou 17º lugar geral no ranking do ENEM, parceira da Geekie há dois anos, fala sobre o trabalho contínuo de preparação para o exame, o cuidado ao escolher as melhores tecnologias educacionais e o perfil do aluno autônomo.

“O Enem é uma prova exigente, é como correr uma maratona – o atleta precisa repetir aquele percurso muitas e muitas e muitas vezes antes de conseguir superar aquele objetivo. Assim é com os estudantes que vão realizar o Exame”, começa Amanda Leal, diretora pedagógica do Educandário Santa Maria Goretti, em Teresina, Piauí. Ela acredita que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) requer mais que apenas desenvolvimento cognitivo; é também um desafio físico e emocional.

Essa visão holística da prova justifica o trabalho árduo da escola na preparação dos alunos desde o 2º ano do Ensino Médio. Amanda explica que os estudantes realizam, no colégio, a mesma experiência do Enem várias vezes: desde o tempo de prova até o número e estilo das questões. “Ele precisa estar preparado. Tanto para ler e compreender enunciados longos, tirar dali as informações necessárias, quanto para manter a concentração, administrar o tempo, não ficar com os olhos cansados. Isso só vem com a prática”.

A tecnologia amplia o aprendizado – mas é preciso cuidado ao escolher a melhor ferramenta

O Educandário utiliza, desde 2015, as tecnologias da Geekie como parte da estratégia para atingir bons resultados e melhorar a performance dos alunos. A implementação das plataformas foi feita com cautela: no primeiro ano, a escola revisou (e aprovou!) todo o material enviado pelo Geekie Teste, avaliação externa da Geekie, buscando inclusive por possíveis erros de português. Mais adiante, quando os coordenadores acessaram os primeiros relatórios gerados pela ferramenta, compararam as correções automáticas àquelas feitas pelos professores; os resultados foram muito semelhantes.

Amanda afirma que “a colocação da nossa escola no ranking do Enem ficou muito próxima do que esperávamos por causa das avaliações externas, o que nos deu segurança. Acompanhando nosso desempenho pelo Geekie Teste, sabíamos que o Educandário estaria no top 20”. A escola ficou em 17º lugar geral e foi a 4ª colocada em redação.

Agora, o Geekie Teste já é utilizado por toda a escola. Já o Geekie Lab, plataforma de ensino adaptativo que otimiza o tempo do professor e envolve os jovens no aprendizado online, faz parte da rotina dos 50 estudantes do 3º ano – e, em 2017, será levado também para o 2º ano.

Alunos autônomos e olhar individualizado – a receita do sucesso para a tecnologia no Educandário

“Nossa maior preocupação ao inserir a Geekie não era que a turma não soubesse usar os recursos… Era que a turma soubesse usá-los, mas não conseguisse equilibrar os estudos online com o conteúdo de sala de aula”, recorda a diretora. O que a incentivou foi o perfil dos alunos do Ensino Médio no Educandário: jovens responsáveis, capazes de realizar a autogestão, assertivos e cientes de seu processo de aprendizagem. “É uma tendência dessa idade estudar só aquilo em que se tem facilidade. Porém, achei que eles seriam capazes de usar a plataforma com intencionalidade: vou acessar mais biologia, porque estou fraco nessa matéria, e menos geografia, de que eu gosto”.

Com apoio do Geekie Lab, cada estudante conquista autonomia para se dedicar àquilo em que tem maior dificuldade. Apesar de o colégio oferecer aulas extras de todas as disciplinas – 23 no total – esse tempo também pode ser usado para estudar por conta própria online. O tratamento individualizado, que contempla desde as turmas menores (com, no máximo, 25 alunos, para que o professor conheça profundamente cada um) até o ensino personalizado, é outra marca da escola  – que, segundo Amanda, “não seria possível sem tecnologia”.

Gostou desse artigo? Leia mais:

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *