Notícias

Da Teoria Clássica à Teoria de Resposta ao Item: diferenças e vantagens

No primeiro artigo do Especial Avaliação Geekie, falamos sobre como a avaliação externa e os nossos produtos podem ajudar na gestão das escolas.

Neste segundo artigo, vamos falar sobre as teorias que subsidiam a construção da medida em uma avaliação: a TCT (Teoria Clássica dos Itens) e a TRI (Teoria de Resposta ao Item), bem como sobre a forma com que a Geekie trabalha com as duas teorias.

Sem perder tempo, para início de conversa, vamos logo responder a uma pergunta que talvez você já tenha feito:

TCT vs TRI: qual é a melhor?

Nossa resposta de bate-pronto é: depende da sua necessidade. Dados os objetivos e características de uma avaliação, uma teoria pode ser mais adequada do que a outra. Ambas as teorias podem, à sua maneira, ser ferramentas importantes para o desenvolvimento pedagógico dos alunos e para a estratégia de gestão de escolas e redes.

Para prosseguir no tema, um breve resumo sobre as teorias.

TCT

Se você nunca ouviu falar ou pouco sabe sobre a Teoria Clássica dos Testes, eis um fato: provavelmente ela fez ou faz parte da sua vida. Lembra-se da sua época de aluno e daquelas provas bimestrais? Então, havia ao menos um pouco de TCT ali.

Na TCT, o todo é o mais importante. Ao construir o instrumento, pensa-se na prova completa, em que cada questão constrói um conjunto coeso e que pode colaborar para uma análise de domínio do conhecimento. O princípio básico dessa teoria é que, quanto mais acertos, maior o domínio. O foco, então, é a quantidade de acertos do aluno, o escore total. Alunos submetidos a uma mesma prova ou a provas semelhantes (ditas paralelas) possuem seus resultados comparáveis, o que possibilita também comparações entre grupos.

Uma das principais vantagens da TCT é que ela é simples e eficiente. Não é preciso ser um especialista para calcular e compreender o resultado de uma avaliação com base na TCT. Além disso, essa teoria não exige pressupostos rigorosos, o que torna mais fácil aplicá-la em diferentes contextos.

TRI

Enem, Saeb, Pisa. Em comum, todas essas provas utilizam a Teoria de Resposta ao Item.

A TRI envolve um conjunto de modelos matemáticos nos quais o item (ou questão) é o elemento-chave. No caso do Enem e do Saeb, três características importantes do item são consideradas: dificuldade, discriminação e probabilidade de acerto ao acaso. Assume-se, portanto, que os itens têm características diferentes e, consequentemente, fornecem uma quantidade diferente de informação sobre o conhecimento.

Ao se realizar a estimação da dificuldade dos itens, estabelece-se uma escala de proficiência, uma régua. Para cada aplicação, pode-se construir uma régua específica. Outra possibilidade é usar réguas padronizadas, como a das avaliações nacionais. Neste caso, a dificuldade dos itens deve sempre ser equalizada na escala de referência, o que permite a comparabilidade. É isso o que nós fazemos para as avaliações Geekie ENEM e Geekie SAEB. É preciso ressaltar que apenas utilizar a TRI não significa possibilitar uma comparabilidade com as principais avaliações nacionais, é necessário que os resultados estejam equalizados.

O princípio básico da TRI é o de que a probabilidade de acerto de um item depende do nível de domínio do aluno. Assim, dado o domínio de um aluno, espera-se que ele acerte os itens de proficiência/dificuldade igual ou menor que a dele. A TRI avança ao tornar o item a unidade básica de análise e ao desenvolver a ideia de uma escala de referência, com todos os benefícios que essas características proporcionam. Por outro lado, essa teoria exige pressupostos mais rigorosos para ser utilizada, o que não a torna possível em qualquer contexto.

Importante! As teorias vão além…

Para esgotar os assuntos TCT e TRI, é necessário muito mais que um artigo. Você pode baixar nosso  ebook sobre a TRI  para se aprofundar no assunto, e nos próximos artigos falaremos mais sobre as duas teorias.

TCT, TRI e os produtos da Geekie

No primeiro artigo, contamos que a Geekie elaborou para 2016 quatro novos produtos de avaliação.

Deste time, Geekie Saeb, Geekie Enem e Geekie Simulado utilizam TRI. Já a Geekie Formativa é baseada exclusivamente na TCT. E o mais interessante: sua escola pode adquirir, simultaneamente, produtos TRI e TCT!

Nos próximos dois artigos do Especial vamos falar sobre tipos de avaliação, começando pela Avaliação Formativa, e neles a gente vai explicar um pouco mais sobre cada um dos produtos.

 

Especial Geekie Avaliação

Relembre a agenda de artigos do Especial:

  1. Avaliação externa e o papel na gestão da escola
  2. TCT (Teoria Clássica dos Testes) e TRI (Teoria de Resposta ao Item)
  3. Avaliação formativa
  4. Avaliação somativa
  5. Saiba por que é possível tirar mais de mil ponto na prova do Enem
  6. Critérios de montagem de prova

2 Comments

SHARE

Da Teoria Clássica à Teoria de Resposta ao Item: diferenças e vantagens