Categories: Notícias

#GeekieIndica: Documentário mostra realidade das escolas públicas pela perspectiva dos estudantes

Nunca me sonharam traça um panorama do ensino médio nas escolas públicas do Brasil sob diferentes pontos de vista, mas principalmente a partir dos estudantes. Passando pelas cinco regiões do país, o longa-metragem traz depoimentos de jovens, professores, diretores de escolas e especialistas sobre o valor da educação como um direito fundamental e revela os sonhos, as angústias sobre o futuro, os desafios e as motivações das diversas juventudes brasileiras.

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (IBGE, 2015), 82% das crianças e jovens até 19 anos que estão estudando são atendidos pela escola pública. Por outro lado ainda há 1,6 milhão de adolescentes de 15 a 17 anos fora da escola; e do percentual de jovens de 15 a 17 anos 9,98% não estão nem estudando e nem trabalhando, grupo conhecido como geração “nem-nem”.

O diretor Cacau Rhoden, o mesmo que dirigiu Tarja Branca, em suas entrevistas para gravar o filme Brasil afora, encontrou uma juventude interessada e preocupada com o futuro, querendo estabelecer diálogo e aproximação com as instituições educacionais.

“Como meus pais não foram bem sucedidos na vida, eles também não me influenciavam, não me davam for- ça para estudar. Achavam que quem entrava na universidade era filho de rico. Acho que eles não acreditavam que o pobre também pudesse ter conhecimento, que pudesse ser inteligente. Para eles, o máximo era terminar o ensino médio e arrumar um emprego. Trabalhador de roça, vendedor, alguma coisa desse tipo. Acho que nunca me sonharam sendo um psicólogo, nunca me sonharam sendo professor, nunca me sonharam sendo um médico, não me sonharam. Eles não sonhavam e nunca me ensinaram a sonhar. Tô aprendendo a sonhar”, declara no filme o estudante Felipe Lima, cuja fala dá nome ao documentário.

“A juventude brasileira tem uma potência criativa enorme, há um certo movimento de leitura conservadora que os jovens não querem nada. Isto não é um retrato do que a gente está vivendo. Os jovens estão inquietos, estão querendo criar de várias formas, se organizam por coletivos. A juventude rural e urbana, nas favelas, nas periferias, nos centros, as populações ribeirinhas, enfim, as juventudes espalhadas por este território têm uma enorme riqueza e uma grande expectativa de serem relevantes na transformação. Eles se reconhecem como um ator relevante, querem ser ouvidos, querem mudar e querem políticas públicas de qualidade” afirma também no documentário Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco.

Filmado em mais de dez estados do Brasil, o longa é apresentado pelo Instituto Unibanco, produzido pela Maria Farinha Filmes (Muito Além do Peso, O Começo da Vida, entre outros). O documentário foi selecionado para abrir a 4ª edição do Festival Ciranda de Filmes em São Paulo, no dia 24 de maio, em evento só para convidados, e terá uma sessão aberta ao público na programação do festival no dia 25, seguida de debate com os produtores do filme e alguns personagens.

Além disso, com a estratégia de distribuição está baseada na democratização do acesso, educadores de todo o Brasil poderão assistir ao filme, em sessões individuais e gratuitas, na plataforma VIDEOCAMP, de 01 a 07 de junho no endereço http://www.videocamp.com/pt/movies/ nuncamesonharam. O documentário entra em circuito comercial em São Paulo e Rio de Janeiro no dia 8 de junho, quando as sessões serão gratuitas no primeiro final de semana. A partir deste mesmo dia 8, o filme volta a estar disponível para exibições públicas, também gratuitas, na plataforma VIDEOCAMP, exceto nas cidades onde o filme estará em cartaz no cinema.

Lais Rocha

Share
Published by
Lais Rocha
Tags: #Geekie indica

Recent Posts

  • Colunas

3 iniciativas que ajudam a motivar estudantes

De que forma podemos engajar nossos estudantes? Neste artigo, Paula Gonçalves lista algumas iniciativas que podem estimular uma aprendizagem ativa…

4 dias ago
  • Notícias

Tema da redação do Enem 2018 trouxe exatamente o mesmo texto-base trabalhado em atividade do Geekie One

Exercício faz parte dos conteúdos de Educação Digital, disciplina exclusiva do Geekie One, que discute nossa relação com o mundo…

1 semana ago
  • Ebooks

E-book: Práticas ativas para não esquecer mais

Como promover uma educação para a compreensão? Neste e-book, reunimos práticas educacionais contemporâneas que são fundamentais para te ajudar a…

1 semana ago
  • Geekie em Pauta

Claudio Sassaki na TRIP: Gerações de distraídos

Na coluna de novembro para a TRIP Transformadores, Claudio Sassaki, confundador da Geekie, relata como podemos incentivar hábitos de concentração…

2 semanas ago
  • Colunas

Como aliar exercícios de matemática ao mundo digital?

Neste artigo, Fabio Aparecido conta como realizou uma atividade de matemática em uma sala de informática, para promover a troca…

2 semanas ago
  • Colunas

Já ouviu falar em cidade-educadora? Entenda qual a proposta educacional desse local

O que é uma cidade-educadora? Em seu novo artigo, Debora Garcia apresenta uma iniciativa inovadora na perspectiva da educação integral…

3 semanas ago